Associação de Apoio e
Informação a Cegos e Amblíopes

Doenças oftalmológicas

As doenças dos olhos e do sistema visual afectam grande parte da população. Conheça-as e saiba como preveni-las.

Nos últimos anos, com o aumento da qualidade da informação, dos avanços tecnológicos e da ciência médica em matéria de diagnóstico e tratamento, tornou-se possível prevenir e tratar doenças oftalmológicas que há pouco tempo atrás eram consideradas incuráveis.

O que são doenças oftalmológicas?

São as doenças dos olhos e do sistema visual. As doenças oftalmológicas provocam a diminuição da acuidade visual e podem, eventualmente, levar à perda de visão.
A diminuição da acuidade visual é causada, fundamentalmente, por defeitos refractivos passíveis de correcção óptica, como é o caso da miopia, da hipermetropia, do astigmatismo, da presbiopia e da retinopatia diabética.
Miopia
A imagem é focada à frente da retina e traduz-se por uma dificuldade de visão ao longe. Um olho míope é normalmente maior que o normal e é mais propenso a algumas doenças (ex. glaucoma, descolamento de retina, etc.). Requer atenção especial por parte do médico oftalmologista.
Hipermetropia
É um defeito refractivo caracterizado por dificuldade de visão ao perto. O trabalho mais minucioso ou a leitura aumentam a exigência de focagem, provocando fadiga ocular e até dores de cabeça. Pode ser a causa do mau aproveitamento escolar de uma criança.
Um olho hipermetrope é, habitualmente, mais pequeno do que o normal. A "resistência" à hipermetropia diminui com a idade.
Astigmatismo
Corresponde a uma qualidade visual desigual consoante o eixo visual em causa. Resulta, na maioria dos casos, de uma curvatura desigual da córnea, provocando uma visão distorcida. Pode ocorrer isoladamente ou associado aos outros defeitos refractivos.
Presbiopia (ou vista cansada)
Dificuldade de visão ao perto, que é, normalmente, sentida por volta dos 45 anos. Deve-se à perda da elasticidade progressiva do cristalino fruto da idade.

Quais são as doenças oftalmológicas que podem causar perda de visão?

No adulto: Nas crianças:

As doenças oftalmológicas podem ser prevenidas?

A prevenção primária e a detecção precoce, bem como o acesso a terapêuticas cirúrgicas oftalmológicas, são determinantes para a redução da morbilidade das doenças da visão.
A maior parte da disfunção visual, tanto na criança como no adulto, pode ser prevenida através de um diagnóstico oftalmológico precoce.
O diagnóstico oftalmológico é feito por um médico oftalmologista.

Quem deve fazer um exame oftalmológico? E quando?

Crianças de alto risco: recém-nascidos que apresentem potencial para sofrer de retinopatia da prematuridade, as que tenham história familiar e/ou suspeita clínica de retinoblastoma, de cataratas infantis, de glaucoma congénito e de doenças genéticas e metabólicas;
Crianças até aos 2 anos e entre 2-5 anos: devem ter uma observação oftalmológica, através da participação em programas de rastreio oftalmológico;
Jovens e adultos (entre os 14 e os 45 anos) que apresentem sintomas e queixas de visão deficiente, traumatismo ou diabetes, devem realizar exame oftalmológico;
Todas as pessoas com idade igual ou superior a 46 anos devem fazer um exame oftalmológico periódico, pelo menos de quatro em quatro anos;
Todas as pessoas com elevado risco de desenvolvimento de patologia oftálmica: com base na história clínica oftálmica médica, história familiar e idade, mesmo sem sintomas, devem realizar um exame oftalmológico.
A visão tem um importante significado social, representando um meio de comunicação fundamental para a relação entre as pessoas e para a actividade profissional. Sabe-se, hoje, que, mais importante do que a acuidade visual em si mesma, é o modo como cada pessoa utiliza a visão que possui (a visão funcional). A visão deve ser prevenida desde o nascimento e há meios susceptíveis de a melhorar.

Estrabismo

O estrabismo surge, habitualmente, nas crianças. Deve ser tratado de forma adequada, pois pode causar diminuição da visão.
O que é o estrabismo?

É um desalinhamento ocular constante ou ocasional. A população mais afectada é a infantil, mas também pode surgir em adultos, devido a acidente ou traumatismo.
É, muitas vezes, congénito, podendo os olhos estarem desviados para dentro ou fora e/ou para cima ou para baixo.

Quais são as consequências do estrabismo?

As crianças tendem a usar menos o olho desviado, levando a que este fique “preguiçoso”. Esta redução da visão – designada ambliopia – é irreversível.

Que cuidados se deve ter perante o estrabismo? E quando?

Criança com 4 meses de idade – caso persista um desvio ocular deve realizar-se um exame oftalmológico;
Criança com 6 meses de idade – todas as crianças devem fazer um exame oftalmológico.

Catarata

Saiba o que é uma catarata, as suas causas e os seus sintomas.
O que é uma catarata?

É qualquer alteração da transparência do cristalino.

Quais as causas da catarata?

Quais os sintomas de catarata?

A catarata poderá causar a turvação da imagem, entre outras queixas. O diagnóstico deverá ser feito pelo médico oftalmologista.
Como se tratam as cataratas?
Na maior parte das vezes, de forma cirúrgica, removendo a parte do cristalino opacificado e colocando um "cristalino artificial" dentro do globo ocular (lente intra-ocular). Desta forma, dá-se a recuperação visual.

Retinopatia diabética

A diabetes pode comprometer a sua visão. Controle a doença. Descubra o que é a retinopatia diabética.

O que é a retinopatia diabética?

É uma manifestação ocular da diabetes e uma das principais causas de cegueira.

Quais são as causas?

O aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicemia) - que caracteriza a diabetes - causa alterações nos pequenos vasos sanguíneos da retina no interior do olho. Os vasos alterados deixam sair líquido e sangue para a retina, reduzindo a visão.
Em alguns casos, desenvolvem-se vasos anormais na retina. Sendo muito frágeis e sangrando facilmente, estes vasos levam à formação de tecido fibroso que repuxa a retina. Neste estádio muito grave, a doença designa-se retinopatia diabética proliferativa.

Quais são os sintomas da retinopatia diabética?
Inicialmente não há sintomas, daí a importância dos diabéticos vigiarem a sua visão, através de exames médicos oculares regulares.
Como se trata?
A retinopatia diabética é tratada com raios laser. Mas o ideal é que o doente controle os níveis de açúcar no sangue desde as fases iniciais da doença.

Glaucoma

Saiba o que é o glaucoma e que precauções deverá tomar para proteger a sua visão.
O que é o glaucoma?

É uma doença dos olhos causada pelo aumento gradual da tensão ocular. Lesa a visão e pode mesmo causar cegueira.
O tipo de glaucoma mais habitual é o de ângulo aberto.
O que causa o aumento da tensão ocular?

Ainda não estão determinadas as razões que levam ao aumento da tensão ocular. O que se sabe é que a tensão ocular sobe quando o humor aquoso (líquido transparente que circula de dentro para fora do globo ocular – não é lágrima) começa a ter dificuldades em sair do globo ocular.

Quais são as consequências do aumento da tensão ocular?

Se não detectado e tratado, o aumento da tensão ocular pode causar a destruição lenta e progressiva do nervo óptico. Pode levar à cegueira.

Quais são os sintomas do glaucoma?

O glaucoma causa perda de visão, estreitando, sobretudo, o campo de visão. No entanto, as alterações só são sentidas pelo doente quando a doença já está numa fase avançada. Nessa altura, as lesões no nervo óptico não são apenas graves.

Fonte: Portal da saude www.portaldasaude.pt

Programa de saúde da visão:

https://www.dgs.pt/pns-e-programas/programas-de-saude/saude-da-visao.aspx

Oftalmologia (informação muito útil em PDF):

https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2017/01/RRH-Oftalmologia-1.pdf
Página actualizada em: 04-08-2017 21:08