Associação de Apoio e
Informação a Cegos e Amblíopes

Artigos de Interesse sobre a Visão

Aqui poderá encontrar alguns artigos que entendemos conterem informação importante para qualquer pessoa com deficiência visual ou suas famílias.

O que é a deficiência visual, subvisão ou baixa visão?

Em termos gerais, poderemos dizer que uma pessoa tem deficiência visual (subvisão ou baixa visão), quando tem dificuldade em executar as tarefas visuais do dia-a-dia, mesmo com correcção óptica adequada.

Nesta situação existe ainda alguma visão útil, mas esta não pode ser melhorada até à visão normal, nem com o uso de óculos ou lentes de contacto, nem com medicamentos ou cirurgias.

Existem 4 níveis de funcionamento visual, de acordo com a Classificação Internacional das doenças, da OMS:

A deficiência visual moderada e a grave têm sido agrupadas com o termo subvisão ou baixa visão.

Em Portugal, a única classificação aprovada, entrou em vigor em 1 de Dezembro de 1969 (Decreto Lei nº 49331). Para efeitos médico-legais, considera cegueira legal:

As pessoas com deficiência visual têm dificuldade em ler, escrever, fazer compras, reconhecer os amigos, conduzir e em todas as tarefas que aparentemente são simples quando a visão é normal.

É importante saber que nesta situação existe a possibilidade de melhorar o desempenho com a utilização de estratégias compensadoras, ajudas ópticas ou electrónicas e modificações no meio ambiente

Em Portugal segundo o Censo de 2001 existem, 163 569 pessoas com deficiência visual (cegas ou com baixa visão).

A baixa visão é cerca de 3 a 4 vezes mais frequente que a cegueira. Estima-se assim que no nosso país aproximadamente 30 000 pessoas sejam cegas e 133 000 tenham baixa visão.

As principais causas de diminuição da visão estão ligadas ao envelhecimento. A catarata, o glaucoma, a retinopatia diabética e a degenerescência macular ligada à idade (DMLI) são responsáveis pela maioria dos casos de cegueira que se verifica actualmente nos países industrializados.

O Olho e a Visão

esquema do globo ocular
Esquema do Globo ocular
Fonte: audicaoevisao.blogspot.pt

A visão é um fenómeno muito complexo. Temos a noção de que é o olho que vê, mas o sistema visual é constituído pelos olhos, pelas vias ópticas e pelos centros cerebrais dedicados à visão.

esquema do globo ocular
Esquema do sistema visual
Fonte: odlarmed

A visão começa quando a luz entra no olho. A luz atravessa as estruturas transparentes do globo ocular (olho) e chega à retina. A retina converte a luz em sinais que são depois transmitidos ao cérebro através dos nervos ópticos. A visão de cada um de nós é afinal uma construção do cérebro, que interpreta estes sinais como as imagens que vemos.

A alteração da visão pode ser provocada por uma doença ou acidente que atinja qualquer destas estruturas.

Alguns termos:

Acuidade visual
É a capacidade de distinguir os detalhes dos objectos.

Campo visual
É a porção do espaço no qual o olho (a fixar, em posição frontal e imóvel), é capaz de detectar estímulos visuais.

Visão central
É uma visão de pormenor, que se usa quando se olha directamente para alguma coisa.

Visão periférica
É uma visão de menos detalhe, que se usa para ver dos lados e é muito importante para as deslocações.

Sensibilidade ao contraste
É capacidade de distinguir detalhes com níveis baixos de iluminação

Percepção da profundidade
É a capacidade de distinguir a posição relativa dos objectos. Uma perda de visão recente afecta a avaliação da profundidade e nesta situação a pessoa pode ter tem dificuldade, por ex., em encher um copo e a avaliar a altura dos degraus.

Algumas noções importantes:

A localização das lesões no globo ocular vai condicionar o tipo de dificuldades que a pessoa apresenta.

As diferentes doenças podem atingir a visão central (a visão de pormenor, importante para a leitura), a visão periférica (importante para as deslocações) ou as duas em conjunto, podendo a mesma doença ter resultados diferentes de uma pessoa para outra.

Por exemplo se o campo visual estiver preservado, mas houver uma lesão na mácula, como acontece na degenerescência macular relacionada com a idade, a pessoa desloca-se com relativa facilidade, embora não consiga ler, nem reconhecer pessoas.
Por outro lado quando as lesões atingem a periferia da retina como acontece na retinopatia pigmentar, as pessoas têm muita dificuldade nas deslocações por terem a visão periférica atingida, podendo mesmo necessitar de bengala para se deslocar na rua com mais segurança, porque o campo visual está muito reduzido, mas podem conseguir ler e ver televisão com facilidade.

A necessidade de utilização de óculos para correcção de erros refractivos não tem relação com a existência ou não de deficiência visual, pelo que a pessoa nesta situação pode não usar óculos.
Muitas das doenças oculares não têm qualquer manifestação exterior pelo que não é possível identificar as pessoas com deficiência visual pelo aspecto dos olhos.

Texto de: Dra. Luisa Santana Silva (oftalmologista)

Baixa Visão. Sabia que ...

Sabia que…
Existem pessoas que são capazes de ver pessoas, mas não distinguem as suas feições?

Sabia que...
Existem pessoas que conseguem encontrar uma paragem de autocarro, mas não conseguem ler os letreiros?

Sabia que...
Nos supermercados estas pessoas vêm as prateleiras, mas tem dificuldades em ver os preços?

Sabia que…
Existem pessoas que se deslocam a um banco ou a uma repartição pública, mas têm dificuldades em assinar um cheque ou um documento?

Sabia que...
Estas pessoas na maioria dos casos não apresentam alterações visíveis nos olhos, pelo que se torna difícil identificá-las?

Sabia que…
Estas pessoas têm dificuldades em ler, escrever, fazer compras, reconhecer pessoas, conduzir e em todas as tarefas que para si serão aparentemente simples se tem a possibilidade de disfrutar de uma visão normal.
As pessoas com baixa visão ainda têm alguma visão útil, mas esta não pode ser melhorada até à visão normal, nem com o uso de óculos ou lentes de contacto, nem com medicamentos ou cirurgias.

Em Portugal existem, segundo o Censo de 2001, 163 569 pessoas com deficiência visual (cegas ou com baixa visão).

A baixa visão é cerca de 3 a 4 vezes mais frequente que a cegueira. Estima-se assim que no nosso país aproximadamente 30 000 pessoas sejam cegas e 133 000 tenham baixa visão.
Seria muito importante que todos estivessem sensibilizados e conscientes da existência destas dificuldades, para poderem entender e ajudar as pessoas com baixa visão.

Página actualizada em: 19-10-2013 18:42