Associação de Apoio e
Informação a Cegos e Amblíopes

Federação Portuguesa de Desporto Para Pessoas com Deficiências - FPDD

Contacto:
Rua Presidente Samora Machel, lote 7-loja direita
2620- 061 Lisboa
Telefone: 219379950 Fax: 219379959
E-mail: info@fpdd.org
Site: www.fpdd.org

Modalidades para pessoas com deficiência visual

Goalball

O Goalball foi criado em 1946 pelo austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle, que tinham como objectivo reabilitar os veteranos da Segunda Guerra Mundial que perderam a visão.
Ao contrário de outras modalidades Paralímpicas, o Goalball foi criado e desenvolvido exclusivamente para pessoas com deficiência visual.
O terreno de jogo tem as mesmas dimensões do de voleibol (9m de largura por 18m de comprimento). As partidas tem a duração total de 20 minutos, com duas partes de 10 minutos.
Cada equipa é constituída por três jogadores titulares e três suplentes.
O objectivo de cada equipa é marcar golos na baliza do adversário, que tem a dimensão de toda a linha de fundo do campo (baliza com 9m de comp. por 1,30m de altura).
A bola utilizada pesa 1050g e tem um dispositivo sonoro interno que em contacto com o solo permite aos jogadores detectar a trajectória.
O Goalball é um desporto baseado na percepções táctil e auditiva, por isso não pode haver barulho no ginásio durante a partida.

Classificação

Nesta modalidade os atletas deficientes visuais das classes B1, B2 e B3, competem juntos, os jogadores têm de usar tampões oculares e viseiras opacas para garantir que todos os participantes competem em termos de igualdade.
• B1 – Cego total: de nenhuma percepção luminosa em ambos os olhos até a percepção de luz, mas com incapacidade de reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância ou direcção.
• B2 – Com alguma percepção de vultos. Da capacidade em reconhecer a forma de uma mão até a acuidade visual de 2/60 ou campo visual inferior a 5 graus.
• B3 – Conseguem definir imagens. Acuidade visual de 2/60 a 6/60 ou campo visual entre 5 e 20 graus.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial: http://www.ibsa.es/eng/

Ciclismo

Todas as Deficiências participam nesta modalidade.
As regras seguem as da União Internacional de Ciclismo (UCI), mas com pequenas alterações relativas à segurança e classificação dos atletas. As bicicletas podem ser de modelos convencionais ou triciclos para a paralisia cerebral, segundo o grau de lesão. O ciclista cego compete com uma bicicleta dupla, conhecida como “tandem”, com um guia no banco da frente dando a direcção. Para as cadeiras de rodas, a bicicleta é “pedalada” com as mãos - handbike. As provas que participam são de velódromo, estrada e contra-relógio.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.uci.ch/para-cycling/about/
https://www.deaflympics.com/sports.asp?cr
http://www.edso.eu

Halterofilismo

O halterofilismo é um desporto cujo objectivo é levantar a maior quantidade de peso.
Para atletas com paralisia cerebral, lesões da medula espinal, amputados (somente amputados dos membros inferiores) e «les autres» que satisfaçam os critérios mínimos de incapacidade, os atletas permanecem deitados num banco, e executam um movimento conhecido como supino. A prova começa no momento em que a barra de apoio é retirada – com ou sem a ajuda do auxiliar central – deixando o braço totalmente esticado. O atleta flexiona o braço descendo a barra até a altura do peito. Em seguida, elevam-na até a posição inicial, finalizando o movimento.
As categorias são subdivididas pelo peso corporal de cada um. São dez categorias femininas e dez masculinas. O atleta pode realizar o movimento três vezes, o maior peso é validado.
Para atletas cegos há três disciplinas: agachamento, supino e no peso morto. Cada atleta tem três tentativas em cada disciplina.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.ibsasport.org/sports/powerlifting/
http://www.powerlifting-ipf.com
http://www.ipc-powerlifting.org

Futebol 5

Nos Jogos Paralímpicos, o futebol de cinco é exclusivo para deficientes visuais. As partidas normalmente são num campo de futsal adaptado.
O guarda-redes tem visão total e não pode ter participado de competições oficiais da FIFA nos últimos cinco anos. Junto às linhas laterais, são colocadas tabelas que impedem que a bola saia do campo. Cada equipa é formada por cinco jogadores.
A bola tem guizos internos para que os atletas consigam localizá-la.
O jogo tem duas partes de 25 minutos cada e um intervalo de 10 minutos.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.ibsa.es/eng/deportes/football/presentacion.htm
http://www.fpdd.org/pt/futebol-5

Equitação

A equitação é um desporto que inclui todos os tipos de deficiência e está aberto a atletas com deficiências motoras, visuais e mental/intelectual. As provas são mistas e agrupadas de acordo com os perfis das capacidades funcionais. Os atletas competem em duas provas de «dressage», uma prova de campeonato, de movimentos predefinidos, e uma prova livre acompanhada de música. Existe também uma prova em equipa para três ou quatro atletas. Os concorrentes são avaliados de acordo com a exibição das capacidades de equitação enquanto montam o respectivo cavalo e usam uma série de ordens de passo, trote e meio galope.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.fei.org/
http://www.para-equestrian.com/pdfs/classification-manual.pdf

Judo

O judo é uma modalidade desportiva que exige destreza física e estratégica e que põe à prova as qualidades de toque, equilíbrio e sensibilidade. Os concorrentes têm de usar técnicas diferentes para vencer ou imobilizar o adversário.
Esta modalidade está aberta a atletas com deficiência visual, intelectual e auditiva em várias categorias de peso.
A modalidade para a deficiência visual é regulada pela International Blind Sports Federation (IBSA), sendo as regras de competição as da International Judo Federation (IJF), seguidas noutras provas de judo de alto nível destinadas a atletas sem deficiência, com ligeiras modificações para atletas com deficiência visual, apenas com uma ligeira adaptação, no início e após as paragens do combate, este recomeça com os judocas em contacto.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.fpj.pt/
http://www.ibsa.es/eng/deportes/judo/presentacion.htm

Natação

Na natação competem atletas com todos os tipos de deficiência em provas como nos 50m aos 400m no estilo livre, dos 50m aos 100m nos estilos peito, costas e borboleta. O medley é disputado em provas de 150m e 200m. As provas são divididas nas categorias masculinas e femininas, seguindo as regras do IPC Swimming, órgão responsável pela natação no Comité Paralímpico Internacional.
As adaptações são visíveis nas partidas, viragem e chegadas. Os nadadores cegos recebem um aviso do “tapper”, por meio de um bastão com uma ponta de espuma, quando estão se aproximam ponto de viragem. A partida também pode ser feita na água, no caso de atletas de classes mais baixas, que não conseguem sair do bloco. As provas são separadas de acordo com o grau e o tipo de deficiência.
Classificação
O atleta é submetido a uma classificação, que procederá a análise de resíduos musculares por meio de testes de força muscular; mobilidade articular e testes motores (realizados dentro da água). Vale a regra de que quanto maior a deficiência, menor o número da classe. As classes sempre começam com a letra S (swimming) e o atleta pode ter classificações diferentes para o nado peito (SB) e o medley (SM).
• S1 a S10 / SB1 a SB9 / SM1 a SM10 – nadadores com limitações motoras;
• S11, SB11, SM11 S12, SB12, SM12 S13, SB13, SM13 – nadadores com deficiência visual;
• S14, SB14, SM14 – nadadores com deficiência mental.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.ipc-swimming.org /
http://www.ibsa.es/eng/deportes/swimming/presentacion.htm

Remo

No Remo Adaptado a classificação desportiva e os regulamentos são os da FISA, Federação Internacional de Remo, que é o Organismo que tutela da modalidade a nível internacional.

A competição no Remo Adaptado está aberta a atletas masculinos e femininos para as seguintes embarcações: LTA4, (barco de 4 remadores + timoneiro) esta embarcação é mista no que diz respeito ao género e podem participar atletas com deficiência visual, paralisia cerebral e deficiências motoras; a embarcação TA2x, ou double sculls, embarcação mista para dois remadores com deficiências motoras ao nível dos membros inferiores; a AW1x ou single scull para remadores femininos com deficiências motoras ao nível dos membros inferiores e tronco e finalmente o AM1x ou single sculls para remadores masculinos com deficiências motoras ao nível dos membros inferiores e tronco.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.worldrowing.com/

Tiro com Arco

O tiro com arco põe à prova as qualidades de precisão, força e concentração. Esta modalidade está aberta em todas as deficiências (Motora (lesões da medula espinal, paralisia cerebral, amputados e «les autres»), Intelectual, Auditiva e Visual).
A competição pode ser individual e por equipas, em pé ou em cadeira de rodas. Os arqueiros atiram a um alvo, com dez zonas de pontuação diferentes, a partir de uma distância definida.
O órgão regulador é o IPC através do International Paralympic Archery Committee, que segue as regras da FITA (o órgão regulador internacional do tiro com arco praticado por pessoas sem deficiência) com algumas pequenas alterações, conforme especificado no livro de regras de tiro com arco do IPC.
Nos Jogos Paralímpicos a competição é disputada só para Deficientes Motores (lesões da medula espinal, paralisia cerebral, amputados e «les autres») nas variantes de singulares e equipas e dividida entre atiradores em pé e em cadeira de rodas.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
Deficiência Visual: http://www.ibsa.es/eng/deportes/archery/presentacion.htm
http://www.archery.org/

Vela

Esta modalidade está aberta a atletas de todas as deficiências.
Para os Jogos Paralímpicos os atletas com deficiência que podem participar são, atletas com paralisia cerebral, amputados, cadeira de rodas e com deficiências motoras «les autres» e com deficiência visual.
O sistema de classificação da modalidade baseia-se em quatro factores - estabilidade, função manual, mobilidade e visão.
Os atletas competem em dois eventos mistos: a prova de três velejadores, que utiliza barcos da classe Sonar e tem uma tripulação de três pessoas, e a prova individual disputada em barcos da classe R (2,4 m), SKUD 18, embarcação para dois velejadores.
Há ligeiras modificações no equipamento e na pontuação. Os pontos são atribuídos com base na habilidade e classe SONAR para uma tripulção de 3 velejadores, o que permite a atletas de diferentes grupos de deficiência competir em conjunto. Esta modalidade desportiva é regulada pela International Foundation for Disabled Sailing (IFDS), que se tornou membro da International Sailing Federation (na altura denominada IYRU) em 1991.
As competições, denominadas de “regatas”, são percursos sinalizados com bóias, feitas de acordo com as condições climáticas, de forma que o atleta teste todo seu conhecimento de velejador.
Uma competição é composta de várias regatas, ganhando o evento, aquele que tiver melhor resultado, após o somatório de todos os seus resultados nas regatas.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.sailing.org/disabled/
http://www.sailing.org/

Tiro

Esta modalidade de precisão e o controlo, está aberta em todas as deficiências. Para as provas utilizam-se pistolas e espingardas de ar comprimido para disparar contra um alvo fixo.
Nos Jogos Paralímpicos esta modalidade só está aberta para os atletas com deficiências motoras. Existem duas classes de competição, nomeadamente em cadeira de rodas e em pé.
Os atletas competem nas provas de Espingarda e Pistola a partir de uma distância de 10, 25 e 50 metros, podendo as provas ser masculinas, femininas ou mistas.
O Tiro utiliza um sistema de classificação funcional, que permite a atletas de diferentes classes de deficiência competir individualmente ou por equipas.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.ipc-shooting.org
http://www.ibsa.es/eng/deportes/shooting/presentacion.htm (Deficiência Visual)

Xadrez

Participam atletas com deficiência Motora, Intelectual, Visual e Auditiva em provas masculinas e femininas, as regras são as convencionais, com a excepção para deficientes visuais, em que o tabuleiro tem características especiais. Pode ser jogado com o toque das mãos, o que permite ao praticante uma "visualizar" e montar sua estratégia. As casas pretas são ligeiramente elevadas para facilitar na orientação, assim como as peças pretas que possuem uma ponta de metal. As categorias B1, B2 e B3 disputam entre si e devem "comunicar verbalmente ao seu adversário" as suas jogadas e podem tocar livremente as peças, que são encaixadas, sem a obrigação de mexer, desde que não a retire do lugar.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.olimpbase.org/index.html?http%3A%2F%2Fwww.olimpbase.org%2Fibca%2Fabout.html (deficientes visuais)

Bowling

Participam atletas com deficiência Motora, Intelectual, Visual e Auditiva em provas masculinas e femininas, as regras são as convencionais, com a excepção para deficientes visuais, que tem o apoio de um guia/assistente, e também a utilização trilhos/pontos de referência para que possa se alinhar com a pista, e com a linha de lançamento.

Para obter mais informações sobre a modalidade, por favor visite o website oficial:
http://www.ibsa.es/eng/deportes/tenpinbowling/presentacion.htm
http://www.fiq.org/

 

Página actualizada em: 27-06-2017 15:30